Todos os servidores merecem 18% de aumento

Com a inflação acumulada nos últimos 4 anos superior à 28%, a derrubada do veto parcial do governador ao Projeto de Lei 085/2018, o que garantiu 18% de aumento aos salários de parte dos servidores do executivo, é mais que justa.

A injustiça se dá, no entanto, pela seletividade, ignorando os demais servidores que receberam apenas 5% de aumento, com salários muitas vezes até abaixo do mercado. Chegando ao limítrofe do governador ignorar as necessidades dos defensores públicos que nem 5% tiveram direito. Justamente uma categoria fundamental à sociedade para garantir o acesso à justiça.

Pelo Projeto de Lei (PL 85/2018), o governador, vice e secretários de Estado terão um reajuste de 13% em seus vencimentos a partir de 2019, passando a receber R$ 23 mil, R$ 20,8 mil e R$ 18,3 mil. Atualmente, os cargos têm subsídios de R$ 19,4 mil, R$ 17,6 mil e R$ 15,4 mil. Os atuais ocupantes dos cargos vão receber ainda os 5% de aumento concedido ao funcionalismo. O reajuste tem efeito retroativo ao dia 1º de abril.

Durante a sessão, os deputados favoráveis à proposta alegam que a rejeição ao veto era necessária para favorecer os servidores que já chegaram ao topo de suas carreiras e estão com seus subsídios estagnados, pois não podem receber valores mais altos que o do chefe do Executivo.

Porém, diversos servidores de outras categorias também estão recebendo abaixo do mercado, com salários achatados devido ao congelamento praticado pelo governo Hartung. Lamenta-se que os deputados tiveram uma oportunidade de corrigir as distorções, garantindo uma aumento digno para todos os servidores, mas não realizaram.