Sucateamento da TVE afeta atrações e entrevistados

TVE_

A falta de uma política de comunicação pública tem gerado uma grave crise na TVE, afetando inclusive a produção e a realização de programas devido ao sucateamento da emissora que além de funcionar em um prédio antigo sem as devidas condições físicas adequadas, ainda sofre com a falta de equipamentos básicos em uma emissora de televisão.

Recentemente o músico Marcus Bacalhau fez um desabafo emocionado nas Redes Sociais sobre o caso. “Recebi outro dia o convite para participar do programa “Eu sou o Samba” como convidado em um grupo de choro, fiquei extremamente honrado por participar de um programa de alto nível com profissionais de primeira, elite mesmo. Infelizmente também fiquei muito triste porque nos foi solicitado que levássemos uma mesa de som, pois a que tinham estava muito velha e não tinha recursos para que nosso áudio ficasse com qualidade. Senhor governador Renato Casagrande é uma vergonha que a nossa televisão estatal que divulga informações e principalmente CULTURA não tenha equipamentos para exercer sua principal função. É claro que nenhum profissional consegue trabalhar sem ferramentas para tal, a Sra. Gerusa Contti e o Sr. Francisco Velasco fazem milagres para manter o programa no ar”.

Para finalizar ele ainda faz uma sugestão ao governador “Vou deixar uma simples sugestão ao senhor [governador]: pare de gastar dinheiro em propaganda de sua “gestão” em outras emissoras e invista na TVE e faça sua propaganda de graça, que tal?, assim nós poderemos ter uma emissora de qualidade, assim teremos um espaço na mídia para divulgar nosso trabalho”. – Marcus Bacalhau

Na Rádio Espírito Santo, também pertencente a RTV/ES, a situação não é muito diferente, com falta de profissionais, condições de trabalho e equipamentos.

O Sindipúblicos tem realizado diversas denúncias aos órgãos competentes e entrado com ações jurídicas no intuito de garantir a imediata realização do concurso público para cobrir o déficit de profissionais no sistema RTV/ES, bem como exigir das autoridades investimento e as condições adequadas de trabalho.