Servidores querem candidatos que valorizem serviços públicos

 

 

Os membros da diretoria da Pública-ES Central do Servidor, seguindo a proposta nacional, iniciaram as discussões em torno das eleições 2018 avaliando os mandatos dos atuais políticos que estão no poder para identificar os favoráveis ao fortalecimento do serviço público com a devida valorização da categoria em benefício à sociedade e os que tem ignorado as necessidades sociais votando conforme determinação dos mercados financeiro e empresarial financiadores de campanhas.

A intenção é, após uma minuciosa análise, abrir o debate junto à categoria para lançar uma plataforma unindo os candidatos, novos e os que pretendem se reeleger, independente de partidos, mas que todos defendam o serviço público e a categoria.

A ação é plural, multipartidária e faz parte da campanha do voto consciente do servidor público nas eleições de 2018, que será lançada em 5 de julho. Segundo o presidente da Pública, Nilton Paixão, os servidores têm em mãos mais de 46 milhões de votos, um patrimônio que partido algum vai desprezar. “São 16 milhões de votos dos funcionários público e um potencial de influência em mais 30 milhões dos familiares. Temos de ter consciência e participar das eleições de forma organizada e com sincronismo de intenção de voto”, salienta Paixão.

A plataforma irá elencar nomes e propostas dos postulantes de todo o país, com a intenção de construir uma bancada parlamentar comprometida com “o fortalecimento dos serviços, dos servidores e das carreiras públicas e de investimentos em um Estado republicano, eficiente e sem aparelhamento partidário” defendeu o presidente da Pública, Nilton Paixão.

A Pública ES também irá analisar o contexto capixaba e formular as propostas e políticas para que os candidatos assumam o compromisso de, se eleito, apoiarem essas propostas, que são, principalmente, o fortalecimento do Estado democrático de direito, valorização dos servidores e qualificação dos serviços públicos prestados a sociedade capixaba.

O presidente da Pública-ES, Haylson de Oliveira lembra do potencial dos servidores, que compõe grande parte da sociedade. “Não tem como dissociar a defesa da segurança, saúde, educação, sem que se comprometa também com a valorização dos servidores. Para que a população tenha acesso aos serviços essenciais, é preciso que os representantes do povo também defendam serviços públicos de qualidade” comenta Haylson.

 

 

Com informações do Correio Brasiliense