Servidores organizam carreata para denunciar governo Casagrande

Visando ampliar o debate para a sociedade capixaba, os servidores estão organizando uma carreata nesta quinta-feira, 24 de outubro durante a Assembleia Geral Unificada que terá concentração a partir das 10h em frente ao Tribunal de Justiça do Estado.

Passando por várias ruas da capital, os servidores estarão alertando à sociedade o descaso do governo Casagrande com o serviço público estadual que tem sofrido com sucateamento, falta de condições de trabalho e cortes de insumos.

Além disso, os servidores estão trabalhando com um achatamento salarial que ultrapassa 29,15%, o equivalente dizer que apesar de trabalharem durante doze meses, só recebem nove.

A falta de recomposição inflacionária, prevista na constituição e negligenciada por Casagrande, afeta milhares de famílias dos servidores e também contribui para agravar o desemprego no Estado, visto que os valores que poderiam estar circulando no comércio local, estão no caixa do governo.

Diante tudo isso, os servidores cobram do governador que cumpra a sua palavra, que quando estava em campanha procurou as entidades prometendo que iria respeitar os preceitos constitucionais e valorizar os servidores. Atualmente, o que se vê é uma continuidade da política do governo Hartung, até mesmo agravada, já que o governador anterior tinha deixado no orçamento de 2019 a previsão de recomposição inflacionária que foi retirada pelos deputados a pedido de Casagrande.

Além de não recompor a inflação, o governador Casagrande ainda defende que os servidores sejam penalizados com uma Reforma da Previdência Estadual baseada na proposta por Bolsonaro. Entre as propostas, está que os servidores poderiam ter até mais de 20% de seus salários confiscados pelo Estado, em forma de alíquota, para cobrir rombos promovidos pelos próprios governos.

Nesta quarta-feira, convide seus colegas de trabalho e venham, preferencialmente de carro, às 10h, em frente ao Tribunal de Justiça à Assembleia Geral Unificada para juntos mostrarmos à sociedade capixaba a situação vivenciada pelos servidores.