Servidores do IPAJM aguardam resposta do governo

Na manhã do último dia 26 de setembro, a comissão de servidores e a diretoria do Sindipúblicos se reuniram com o presidente do IPAJM José Elias Marçal, que se comprometeu em atender uma das reivindicações dos trabalhadores: a incidência das vantagens pessoais sobre extensão da carga horária. Sobre a promoção dos servidores abrangidos pela lei 501/2009, o presidente comunicou que encaminhou ao jurídico do IPAJM para que fosse feito um parecer para posterior encaminhamento a Secretaria de Estado, Gestão e Recursos Humano – Seger, na pessoa do Secretário Álcio de Araujo. Quanto às instalações precárias, o presidente noticiou que um novo prédio será alugado para alojar as atividades do Instituto, mas depende da aprovação da Seger. Também informou que em 60 dias o governo irá apresentar uma resposta sobre as demandas da insalubridade e o auxílio alimentação.

Na tarde dessa quinta-feira (27), o Sindipúblicos e a comissão de greve se reuniram com o Secretário Álcio de Araújo que se comprometeu em dar encaminhamento às demandas da categoria assim que o parecer do IPAJM chegar às suas mãos.

Foi realizada outra assembleia nessa sexta-feira (28), na qual se deliberou a suspensão da paralisação que estava agendada para hoje e foi agendada uma nova assembleia para o dia 16 de outubro (terça-feira).

“O Presidente do IPAJM e o secretário Alcio parecem empenhados em atender às reivindicações da categoria. Os servidores avaliaram que irão continuar mobilizados até que se tenha uma resposta definitiva sobre os pontos de pauta. Uma das reivindicações é a Promoção dos servidores, que está prevista em lei e não abriremos mão dessa demanda” destaca Rodrigo da Rocha Rodrigues, diretor Jurídico do Sindipúblicos.

Na pauta encaminhada ao governo, os servidores do Instituto reivindicam:

  • Promoção dos servidores abrangidos pela lei 501/2009;
  • Incidência das vantagens pessoais sobre extensão da carga horária;
  • Criação de Gratificação Previdenciária;
  • Instituição da Insalubridade;
  • Reposição das perdas provenientes das diferenças da inflação (período 2007/2012);
  • Melhores condições de trabalho para melhor atender aos segurados;
  • Reajuste do auxílio alimentação e o pagamento do mesmo aos servidores optantes pelo subsídio.