Servidores definem ampliar movimento pela recomposição inflacionária


Reunidos em Assembleia Geral Unificada, com representantes de praticamente todas as carreiras do estado, os servidores decidiram ampliar o movimento pela recomposição inflacionária com atos nas autarquias e demais órgãos públicos.

A intenção é agregar ainda mais apoio e levar à sociedade a realidade vivenciada pelo funcionalismo público estadual, que tem sofrido com o sucateamento, falta de insumos, sobrecarga de trabalho, falta de pessoal, entre outros.

A assembleia desta quinta-feira foi iniciada às 10h em frente ao Tribunal de Justiça de onde partiram em caminhada e carreata por algumas ruas da Enseada do Suá denunciando os prejuízos que a falta de recomposição inflacionária ocasiona à população.

Tadeu Guerzet, presidente do Sindipúblicos, lembrou que “com nossos salários congelados, com perdas de 30%, esses valores deixam de ir para a economia local. Perdemos poder de compra, e aí todos perdem. É lamentável o governo Casagrande ter dinheiro em caixa e não recompor, fazendo com que esses valores fiquem parados, travando a economia capixaba. Essa opção do governador gera ainda mais desempregos”.

Durante o trajeto, a população buzinava em apoio a luta dos servidores que pedem a recomposição inflacionária imediata de 5,56%; a fixação da data-base, a implantação da mesa de negociação permanente e a realização de concursos públicos.