Servidoras discutem impacto da Reforma da Previdência para as mulheres

O impacto da Reforma da Previdência para as mulheres foi um dos temas discutidos no encontro especial realizado pelo Sindipúblicos na tarde desta segunda-feira (11). Para debater o tema foi convidada a advogada especialista em direito previdenciário Maria Regina Uliana.

Durante o encontro, Uliana apresentou dados da CPI da Previdência que comprovam que não existe déficit sendo desnecessária uma reforma que irá aprofundar as desigualdades sociais. Ela alertou que é preciso mudar a gestão dos valores arrecadados, investindo no combate à sonegação e às isenções fiscais, bem como restringir a DRU (Desvinculação de Receitas da União) que permite o governo pegar 30% do total arrecadado e usar como bem entender.

Também alertou que dos valores sonegados menos de 2% são recuperados. “O governo é ineficientes na cobrança dos sonegadores. Antes de propor uma reforma tão drástica, deveria recuperar esses valores sonegados, além de limitar as isenções e restringir a DRU”.

Para Maria Regina, a proposta de Reforma da Previdência irá agravar a desigualdade entre homens e mulheres. “Apesar de prevê algumas regras diferentes, como idade de 62 anos para as mulheres, as diferenças são muito tímidas e não refletem as especificidades enfrentadas no dia a dia”.

Além da palestra sobre Previdência, as diretoras Magna Manoelli e Regina Góes  abordaram os principais problemas enfrentados pelas mulheres no dia a dia como violência, assédio, desigualdade entre outros.

Ao final, foi servido um café especial às servidoras participantes.