• Home
  • Notícias
  • Matérias
  • Sem abrir mão de sua aposentadoria especial, Evair votou a favor da Reforma da Previdência

Sem abrir mão de sua aposentadoria especial, Evair votou a favor da Reforma da Previdência

O deputado Evair de Melo (PP-ES), que não abriu mão de sua aposentadoria especial, foi um dos 36 deputados que votaram favoráveis ao texto da Reforma da Previdência nesta quinta-feira (04) na Comissão Especial que analisou o tema.

Durante seu voto, Evair justificou que o voto seria para garantir o emprego dos brasileiros, argumento semelhante à época da aprovação da Reforma Trabalhista que só agravou o desemprego no país.

Mesmo com vários pontos polêmicos e que necessitavam de maior discussão, Evair e deputados aliados ao governo defenderam a aprovação do texto do relator  Samuel Moreira (PSDB-SP).

Pela proposta, a idade mínima para aposentadoria é de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres. O tempo de contribuição no setor privado é de pelo menos 20 e 15 anos, respectivamente, aumentando para 25, nos dois casos, no setor público.

Inicialmente os servidores públicos municipais e estaduais não serão atingidos diretamente pela Reforma da Previdência. No entanto, há diversas articulações no Congresso, inclusive pelo governador Casagrande, para que as regras passem a valer para todos os regimes previdenciários. Com isso, a idade mínima para aposentadoria seria 65 homens e 62 mulheres, e o tempo mínimo de contribuição de 25 anos, conforme aprovado para os servidores federais.

A próxima etapa será a votação no plenário da Câmara, prevista para a próxima semana.

O Sindipúblicos defende que sejam realizadas mudanças na Previdência que combata de maneira efetiva os privilégios ao invés de atacar os direitos de dignidade na aposentadoria, sem mais uma vez penalizar os servidores e toda a sociedade. É preciso que o governo combata a sonegação, mude a política de isenções fiscais que não são transparentes e por ora, não gera retorno à sociedade e as constantes transferências de recursos previdenciários para outros fins.

A Reforma da Previdência conforme texto aprovado, irá penalizar os mais necessitados, sejam servidores ou trabalhadores da iniciativa privada. Enquanto isso, o alto escalão dos governos e demais poderes, seja no âmbito federal ou estadual, continuam com inúmeras regalias que geram um custo bilionário aos brasileiros.

Entre em contato com o seu parlamentar e exija dele para que não aprove essa nefasta Reforma, que irá agravar as desigualdades sociais.

 

Veja no gráfico abaixo as principais mudanças.

Fonte: A Gazeta; Rede Brasil Atual, Agência Brasil