Segundo IPEA, servidores estaduais tiveram 314% de perdas salariais de 1995 à 2016

 

Em recente pesquisa divulgada pelo “Atlas do Estado Brasileiro” divulgado pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) comprova que de 1995 a 2016 os servidores tiveram uma perda salarial que chega à 314%, isso visto que a média salarial que estava em R$ 3 mil na década de 90 passou para R$ 5 mil, ou seja, um aumento de 66% enquanto a inflação (INPC) no período chegou a 380%.

Outro dado divulgado no Atlas é quanto ao aumento do número de servidores. Conforme levantamento do IPEA, em 2016 o Espírito Santo só possuía 2% da população como servidor estadual, para atender todas as demandas da população seja nos serviços prestados pelo executivo, legislativo ou judiciário. Somado todos os poderes,  eram 78 mil servidores para atender a população.

Apesar do aumento verificado de 69% do quantitativo, o número ainda está aquém das necessidades para a oferta dos serviços públicos de qualidade. Isso pode ser comprovado com órgãos e autarquias que, sem concurso para suprir o déficit de profissionais, estão tendo que restringir o atendimento ao público e reduzir suas demandas de atuação. Entre elas estão o IEMA, a RTV, o Incaper, Sesa, entre outros.

Mais uma vez, a pesquisa divulgada pelo IPEA foi utilizada de forma tendenciosa pela imprensa capixaba no intuito de desacreditar o trabalho dos servidores públicos. Sem nenhuma análise e ao menos ouvir as partes envolvidas, como os representantes sindicais e até mesmo o governo, uma matéria do jornal A Gazeta destaca que “No Espírito Santo – Máquina pública cresce mais que a média do país”. Em números absolutos houve o aumento, porém ignoram que muitos cargos que tiveram novos servidores foram decorrentes das aposentadorias, e mesmo com essas contratações, a quantidade está aquém das necessidades da população que continua a sofrer com a falta de servidores em muitas das áreas, como na saúde.

O Sindicato reforça ao governo eleito da necessidade de se profissionalizar a gestão, suprindo os déficits para garantir um bom atendimento fortalecendo o Estado. E que cumpra o prometido em campanha, de discutir a recomposição do salário dos servidores. É preciso ainda destacar que a valorização do servidor público também garante o aumento do fluxo de dinheiro em toda sociedade contribuindo na economia capixaba e qualificando o serviço público.

 

Com informações de A Gazeta.