Seger e PGE realizam reunião para definir reivindicações dos servidores do IPAJM

Reunidos em assembleia nesta quinta-feira (25), os servidores do IPAJM avaliaram a resposta do governo como positiva. Segundo comunicado da Seger, uma reunião com a PGE foi realizada ontem para deliberarem sobre as demandas dos servidores, e que até a próxima segunda-feira (29), a proposta oficial do Estado será apresentada. Sendo assim, os trabalhadores marcaram uma próxima assembleia na terça-feira (30), às 10h.

ipajm age 25_10Histórico

Reunidos na terça-feira (16), os servidores do IPAJM agendaram uma nova assembleia para o dia 25 e com indicativo de greve a partir do dia 26, caso o governo não apresente respostas satisfatórias a todos os pontos de pauta até a data.

Os trabalhadores avaliaram que a negociação está avançando junto ao IPAJM. Todavia, alguns pleitos precisam do aval do governo do estado e até agora não houve uma resposta definitiva. “O presidente da autarquia parece fazer o que está ao seu alcance. Já garantiu o parecer favorável à algumas de nossas reivindicações e encaminhou à Seger e à PGE. Agora é com o governo” comenta Gerson Correia de Jesus, presidente do Sindicato.

Uma das reivindicações é sobre a “decomposição” do prédio do IPAJM. “É inviável trabalharmos sem condições mínimas de trabalho. Não temos mobiliário adequado, computadores ou internet que funcionem, algumas salas tem goteiras, fios elétricos passando por todos os lados, alguns inclusive desencapados. Não dá mais”, ressalta um servidor. Sobre esse ponto, a promessa é que nos próximos dias seja firmado um contrato de aluguel do prédio onde funcionava a Pax Domini, para posterior mudança das instalações do IPAJM.

“Precisamos tratar a previdência e os servidores de forma eficiente e séria. Não há mais espaço para amadorismo na previdência pública. É necessário investimento em instalações físicas, pessoal suficiente e qualificado para dar andamento às demandas e equipamento de trabalho. Hoje nos deparamos com pedidos de servidores que estão desesperados para se aposentar e o Ipajm não consegue atender no prazo estabelecido pela lei 282/2004. O Instituto esteve abandonado no governo passado, queremos sentir orgulho da nossa previdência, infelizmente não depende só dos servidores ou do Presidente do Ipajm, precisamos de uma decisão de governo,” analisa Rodrigo da Rocha Rodrigues, diretor jurídico do Sindipúblicos.

Confira as respostas da presidência do IPAJM para as reivindicações dos servidores:

1) Promoção dos servidores abrangidos pela lei 501/2009: Parecer favorável do IPAJM, mas aguarda posicionamento da PGE e da Seger;

2) Incidência das vantagens pessoais sobre extensão da carga horária: Parecer favorável do IPAJM. Deve ser implantada se nos outros pontos de pauta ocorrer consenso;

3) Reposição das perdas provenientes das diferenças da inflação (período 2007/2012): Presidência do IPAJM diz que não é de sua alçada, pois é uma política de governo, mas foi encaminhada a Seger;

4) Melhores condições de trabalho para melhor atender aos segurados: Garantiu que está sendo negociado o aluguel do prédio onde funcionava a Pax Domini para a transferência de sede do IPAJM;

5) Criação de Gratificação Previdenciária: O presidente do IPAJM informou que não é o momento apropriado para esta reivindicação;

6) Instituição da Insalubridade: Será implementada nos próximos 50 dias, mas depende da Seger;

7) Reajuste do auxílio-alimentação e o pagamento do mesmo aos servidores optantes pelo subsídio: Na política de governo, a Seger irá implementar nos próximos 50 dias.