Recém inaugurada, forro da nova sede do Idaf desaba

Dois anos de Casagrande: pandemia, sobrecarga de trabalho e redução salarial histórica
30 de dezembro de 2020
Alerta! Golpistas utilizam o nome dos advogados do Sindipúblicos para aplicar golpes em servidores
14 de janeiro de 2021

Com pouco mais de três meses de inaugurada, a nova sede do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) já apresenta problemas. Nesta quarta-feira (06), os servidores foram surpreendidos com o desabamento de parte do forro do prédio. “Por pouco não atinge uma pessoa. Foi próximo ao bebedouro, sempre tem alguém passando”, comentou um servidor. Após o acidente, os servidores esvaziaram o local.

Imediatamente ao ser informado sobre o caso, o Sindipúblicos acionou a direção da Autarquia cobrando as devidas providências e solicitando a suspensão do expediente até que seja realizada uma vistoria técnica que garanta segurança para o retorno dos servidores.

Após a cobrança do Sindipúblicos, a direção do Idaf liberou os servidores e informou que o local passará por uma vistoria de uma empresa particular para essa averiguação. Fato esse contestado pelo Sindicato que entende que técnicos do próprio Iopes deveriam realizar essa inspeção.

A nova sede foi alugada pelo governo do Estado com a promessa de modernidade, redução de custos e concentração dos órgãos no Centro de Vitória. Para utilizar o espaço, localizado no Ed. Trade Center na Av. Jerônimo Monteiro, foram feitas várias adaptações, visto que antes funcionava a loja de departamentos C&A.

“Cobramos da presidência do Idaf para suspender o serviço até que haja uma vistoria dos técnicos de engenharia civil e segurança do trabalho. Até lá, que os servidores sejam afastados. Além dos riscos de contaminação pela Covid-19, agora os servidores estão em um prédio que não tem segurança! Temos insistido que servidores com funções administrativas possam realizar o seu trabalho de forma remota, de suas próprias residências. Mas o governo Casagrande prefere contribuir com a aglomeração. Nossos funcionários, por exemplo, estão em home office e os que têm que atuar presencial, fazendo revezamento” comentou o presidente do Sindipúblicos-ES, Tadeu Guerzet.

Tadeu ainda lembrou que problemas com falta de condições físicas são uma constante no Estado. “Não é a primeira vez que teto desaba. São prédios sem estrutura, sem manutenção ou com reformas ineficientes. Tivemos que ir à justiça para garantir condições adequadas nas sedes do próprio Idaf/Incaper no interior. No Iema, o teto desabou há uns dois anos. Até quando vai continuar caindo teto na cabeça do servidor?”, questionou.

ATUALIZAÇÃO:

Em resposta ao sindicato, o Idaf encaminhou o seguinte ofício:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 5 =