• Home
  • Notícias
  • Matérias
  • Presidente do TJES e mais 4 desembargadores votam contra retroativo do auxílio-alimentação

Presidente do TJES e mais 4 desembargadores votam contra retroativo do auxílio-alimentação

Governador Hartung e Sérgio Gama, presidente do TJES

Usando a desculpa do governo Hartung de que os valores irão impactar as contas estaduais, o presidente do Tribunal de Justiça, Sérgio Gama, seguiu o voto do relator do incidente de resolução de demandas repetitivas – IRDR do auxílio-alimentação, Fernando Bravin, sendo contrário ao pagamento do retroativo aos servidores. Para Gama, garantir esse direito negado aos servidores teria reflexo na segurança jurídica e interesse social, tendo em vista que a verba em discussão é de patamar milionário.

Vale frisar que os valores poderiam ser inclusive menores, caso o Tribunal de Justiça tivesse dado a devida celeridade no julgamento do processo de uma verba alimentar, mas preferiu prostergar o quanto conseguiram o julgamento usando de diversos subterfúgios por quase três anos.

Também votaram na tarde desta quinta-feira, 01 de fevereiro, os desembargadores Ewerton Schwab Pinto Júnior, Fernando Zardini, Samuel Meira e José Paulo Calmon Nogueira da Gama contrários ao pagamento do auxílio. Já Sérgio Bissotto se absteve e os desembargadores Dair José Bregunce de Oliveira e Walace Pandolpho Kiffer se declararam suspeitos não votando. Logo em seguida, o desembargador Arthur José Neiva pediu vista do IRDR e da ação ordinária.

Até o momento, dos 28 desembargadores que compõem o Pleno, oito votaram contra o retroativo, dois a favor dos servidores; dois se declararam suspeitos e um se absteve. Faltam ainda 15 votos.

O Sindipúblicos continuará acompanhando o caso e cobra que os demais desembargadores sejam isentos e balizadores da lei.

  • Forken Junior

    Ja era

  • Luciane

    Onde está a separação entre os três poderes? Impactar as contas públicas?! E o impacto do auxílio moradia e do auxílio alimentação do Judiciário?

    • Carlos Antonio de Melo

      Esta de separação dos três poderes é para nós, pobres coitados, para eles não ha separação é tudo jogo de compadre.

  • jadson

    Se fosse pra eles,juízes etc., ninguém ia pedir vistas e, já teriam votado a favor, há cerca tres anos.

  • Rosa

    Ate agora eu não entendi como eles receberam retroativos e nos não temos direitos, será que eles vão devolver o que receberam indevidamente?

    • tomazmusso .

      eles receberam retroativos?

      • Rosa

        eles não deixaram de receber, esta informação foi a que eu tive de uma colega de classe de inglês que trabalha lá.

      • Carlos Antonio de Melo

        Claro eles podem nós não, afinal escravos servem praque? da próxima vez que for votar pensando em favores, pense também nos desfavores que tais políticos nos prestam?

    • Carlos Antonio de Melo

      É porque nós somos da senzala e eles os senhores do engenho, o pior é que votamos em políticos que colocam tais desembargadores nestes comandos. simples, não?

  • Janio Batista

    pra eles tudo pode..

  • Carlos Antonio de Melo

    É de patamar milionário porque o governador negou o que a lei decidiu, e fica por isso mesmo, se tivesse pago, não estária em cifras milionárias, e o engraçado e que tais entidades compactuam com tais absurdos.

  • Carlos Antonio de Melo

    Olhem só a foto como estão felizes os dois, talvez sejam compadres, afinal comemoram mais uma passada de perna nos humildes eleitores que os colocaram lá. E nós vamos continuar chupando o dedo.