Por falta de manutenção, escola estadual pega fogo

Mais uma tragédia anunciada. Como alertado pelo Sindipúblicos, o governo Hartung ignora as necessidades de manutenção nos mais diversos prédios públicos, colocando todos que os utilizam em risco.

A negligência da Sedu contribuiu para o incêndio que destruiu, na manhã do dia 04 de setembro  parte do prédio da Escola Estadual de Ensino Fundamental Valdício Barbosa dos Santos, no distrito de Braço do Rio, em Conceição da Barra, norte do Estado, já próximo à divisa com a Bahia.

Por sorte não houve feridos. No entanto, documentos e equipamentos da escola foram queimados, assim como o teto, o forro de PVC e as paredes, deixando um rastro de destruição pelas salas, pátio e a comunidade.

Com o incêndio, toda comunidade escolar da região será prejudicada tendo as aulas suspensas, visto que escola atende alunos da pré-escola até o nono ano, em dois turnos.

O governo ainda queria transferir as aulas para outra escola, o que foi rejeitado pelas famílias com medo de nunca mais terem uma escola na comunidade, como tem sido realizado pela Sedu que vem fechando unidades em comunidades rurais penalizando os alunos para irem estudar distante de suas famílias.

“Ouvir uma proposta dessas é uma ofensa. O que a gente quer é que o Estado resolva o problema da eletricidade”, reafirma a coordenadora da escola, Ronimárcia Martins Lima. A comunidade escolar reforça que vinha alertando a Superintendência desde 2016 sobre os perigos na rede elétrica, mas os pedidos de reparação foram sumariamente ignorados.

Nos últimos dois meses, as comunicações se intensificaram, em virtude do agravamento dos problemas, com queima de geladeira, ventiladores e lâmpadas, e a piora nos choques sentidos pelos estudantes e funcionários ao tocarem a parte metálica que sustenta o teto das varandas.

A situação não é isolada. A precariedade das escolas estaduais é tão grave que foi necessário o Sindipúblicos garantir na Justiça a realização de vistorias técnicas de saúde e segurança do trabalho, onde são detectados os problemas e encaminhado denúncia aos organismos competentes.

No entanto, apesar de todo trabalho realizado pelo Sindicato que vem visitando órgãos públicos, é preciso maior celeridade dos órgãos de controle para punir os gestores que colocam a vida de vários servidores e usuários em risco. O Sindipúblicos reforça que os servidores e comunidade escolar podem encaminhar denúncias, preferencialmente com fotos das condições, para comunicacao@sindipublicos.com.br

Com informações de Século Diário