Perdas salarias de servidores estaduais chegam a 31,27%

De abril de 2014 à abril de 2020, os servidores estaduais acumulam perdas salariais que chegam a 31,27% conforme inflação pelo índice IPCA. Isso diante a todo esse período só terem tido 5% de recomposição salarial no governo Hartung em 2018 e no governo Casagrande, apesar de ter concedido 3,5% aprovou uma alíquota única de previdência retirando 3%. E que na prática, devido os 3% ter sido retirado após a concessão dos 3,5% a recomposição foi praticamente nula.

Considerando um salário de R$1 mil, esse teria ido à R$1035, descontados 3% ficou em R$ 1003,95. Ou seja, na prática o governo Casagrande só recompôs 0,395% de uma perda que já chega a 31,27%. Logo, a defesa do congelamento salarial de todos os servidores públicos no país se mostra incoerente e até mesmo um verdadeiro crime ao ignorar as especificidades de cada Estado e as perdas que muitos servidores já sofrem.

Exigir que o Estado que possui nota A do Tesouro e está dentro dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal congele salários, proíba concursos, promoções e progressões, mostra-se uma medida contrária à necessidade da sociedade que precisa da valorização do serviço público no combate à pandemia.

O Sindipúblicos continuará na luta para garantir que o governador Casagrande cumpra a promessa de governo e conceda a recomposição inflacionária do período reduzindo essas perdas históricas.