Maioria dos parlamentares capixabas é contra aposentadoria de servidores

A maior parte dos deputados federais do Espírito Santo declararam votar a favor da Reforma da Previdência, seguindo o texto aprovado na tarde desta quinta-feira (4) na Comissão Especial. Dos dez deputados, sete são favoráveis, dois contra e um não respondeu.

Segundo levantamento realizado pela imprensa, os deputados favoráveis são Amaro Neto (PRB), Soraya Manato (PSL), Felipe Rigoni (PSB), Evair de Melo (PP), Norma Ayub (Dem), Ted Conti (PSB), Lauriete (PL) e Da Vitória (PSB). Os únicos a se posicionarem contra foram Sérgio Vidigal (PDT) e Hélder Salomão (PT).

Já quanto a reinclusão de Estados e municípios no texto – item que foi retirado para facilitar a aprovação da matéria, apenas Amaro Neto se posicionou defendendo uma discussão regional nas Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais. Os demais defendem o retorno desses na Reforma.

Até mesmo quem diz votar contra o texto admite defender a participação desses entes na reforma previdenciária. “O partido sabe que se a questão de Estados e municípios for debatida em plenário, eu voto a favor. Eu defendo a retirada do Regime Geral desse texto, mas isso é algo que não vai acontecer, porque a maior parte da economia proposta pelo governo vem dessas pessoas que fazem parte do Regime Geral”, opinou Vidigal.

O único a se posicionar totalmente contrário à Reforma e em defesa dos servidores é Helder Salomão, que tem mantido sua crítica ao texto da Reforma, inclusive a inclusão dos estados.

Felipe Rigoni, que também defende a volta de Estados e municípios, como constava no texto inicial enviado pelo governo federal, defende outras duas mudanças que foram propostas por ele ao relator da proposta na Comissão Especial, uma seria impedir o recebimento de verbas indenizatórias acima do teto do funcionalismo público.

O Sindipúblicos defende que sejam realizadas mudanças na Previdência que garanta efetiva isonomia, sem mais uma vez penalizar os servidores e toda a sociedade devida a omissão dos governos em cobrar dos sonegadores, liberar isenções fiscais entre outras falhas na gestão da previdência dos brasileiros. Entre em contato com o seu parlamentar e exija dele para que não aprove essa nefasta Reforma, que irá agravar as desigualdades sociais.

 

Com informações do Gazeta OnLine