Mesmo com R$1,6 bi em caixa, Casagrande continua a negar recomposição

O governo Casagrande anunciou que fechou o terceiro trimestre com um novo recorde de arrecadação, alcançando assim a marca de R$1,6 bilhão livre em caixa.

Apesar do resultado crescente na arrecadação do Estado, fazendo com que o terceiro trimestre tenha mais que o dobro do registrado no fim do primeiro bimestre, o governador Casagrande continua agindo como se estivesse em campanha, com promessas mas não cumpridas.

Além de não negociar com os servidores, o governador até o momento não garantiu a prerrogativa constitucional da recomposição inflacionária anual aos salários dos servidores que já acumulam mais de 26% de perdas.

O resultado bilionário é o reflexo do acordo feito entre o Estado e a Petrobras que unificou o Parque das Baleias. Dentro desses R$ 1,6 bilhão estão os valores que compõem o Fundo Soberano e o da Infraestrutura. O acordo garantiu um pagamento à vista de R$ 780 milhões, mais R$ 20 milhões por mês, totalizando R$ 800 milhões no Fundo de Infraestrutura. Já o Fundo Soberano deve receber entre entre R$ 400 e R$ 500 milhões, sendo que já recebeu sua primeira transferência em julho – o valor foi de aproximadamente R$ 11 milhões.

Apesar do acordo restringir a utilização desses valores em áreas específicas possibilita que o Estado possa utilizar os demais valores arrecadados com os demais compromissos, como a recomposição inflacionária, sem comprometer o caixa do Estado.

Mediante a falta de compromisso do governo estadual com os servidores e a manutenção do falacioso discurso que nega a recomposição aos servidores, será realizado a Terceira Grande Assembleia Geral Unificada no próximo dia 30, segunda-feira, a partir das 10h na Praca do Cauê. Convide seus amigos, chame seus familiares e venham lutar pelos seus direitos.

Com informações de GazetaOnLine