Lelo quer mudar aposentadoria rural afetando a economia de 80% dos municípios do ES

Uma crise econômica sem precedentes poderá vivenciar o Espírito Santo, caso as mudanças na aposentadoria rural, defendidas pelo deputado federal Lelo Coimbra (PMDB-ES), forem aprovadas pelos demais deputados.

Conforme a Reforma da Previdência, é preciso que seja alterada a forma de cobrança dos trabalhadores rurais. Para o deputado, o trabalhador rural deve pagar igual aos demais trabalhadores, ou seja, obtendo ou não renda com a safra, seria necessária a contribuição mensal, o que inviabilizaria a garantia de aposentadoria futura.

Sem aposentadoria, a renda no campo irá cair, afetando dezenas de cidades capixabas e milhares de produtores, visto que atualmente em média 80% dos municípios do Espírito Santo tem sua economia em torno das contribuições pagas pelo INSS aos trabalhadores rurais.

“A aprovação da reforma é urgente e necessária para garantir a sustentabilidade da Previdência e a retomada do rumo do desenvolvimento do país, gerando emprego e renda”, tem defendido o deputado Lelo Coimbra (PMDB), líder da maioria na Câmara.

A assessoria do Deputado Lelo Coimbra apesar de ter atendido nossas ligações, não retornou quanto aos questionamentos que fizemos para que o mesmo justificasse e esclarecesse a proposta de mudança para os trabalhadores rurais, que na prática irá acabar com a aposentadoria para esse grupo importante para a economia brasileira.

No lugar de restringir a aposentadoria, o governo deve rever as renúncias fiscais e fortalecer o combate à sonegação, responsáveis por desvios bilionários na previdência.

É preciso que toda a sociedade se una em defesa de uma gestão eficiente na Previdência Pública para oferecer uma aposentadoria que garanta o envelhecimento da população brasileira com dignidade.