• Home
  • Notícias
  • Matérias
  • Há 8 meses governo Bolsonaro não envia inseticida e casos de dengue ‘explodem’ no ES

Há 8 meses governo Bolsonaro não envia inseticida e casos de dengue ‘explodem’ no ES

Quem não teve dengue, chikungunya ou zika provavelmente conhece algum familiar ou amigo que tenha sido picado pelo Aedes aegypti.

Recentemente a imprensa tem noticiado o aumento dos casos e reforçado para a população não deixar água acumulada evitando entulhos e lixo.

Só no Espírito Santo foram mais de 79 mil casos de dengue em 2019 e 43 mortes, bem superior aos 16 mil de 2018.  Também foram registrados 1.201 casos de infecção pelo zika vírus e mais de 500 casos de chikungunya. Em todo o país, os números da Dengue alcançaram mais de 1,5 milhão, com 754 óbitos.

No entanto, pouco se diz que um dos motivos para esse aumento é a falha do governo federal, responsável pela compra e distribuição do Malathion, inseticida utilizado contra o Aedes aegypti adulto nos carros de fumacê. O produto está em falta no país desde abril de 2019, sem ser repassado para os estados e municípios. O Ministério da Saúde justifica falha no lote.

Porém, passados mais de oito meses, vários estados continuam desabastecidos e o governo não conseguiu repor e nem mesmo providenciar um outro produto. Procurada, a Secretaria de Saúde do ES (Sesa) confirmou que “ainda não foi normalizada a distribuição do inseticida Malthion pelo Ministério da Saúde”.

Segundo informações divulgadas à imprensa, a estimativa é que somente em fevereiro de 2020 seja normalizada a entrega de inseticida aos Estados.

Saúde na UTI

Problemas de distribuição tem sido constantes junto ao Ministério da Saúde. No início de 2019, pacientes com leucemia ficaram durante meses sem o Mesilato de Imatinibe; recentemente crianças foram atingidas devida à falta da vacina Pentavalente. Até mesmo os PET’s não receberam as doses da vacina antirrábica em 2019, ficando pela primeira vez durante anos sem o país realizar a campanha de vacinação contra a raiva.

A justificativa são sempre de problemas externos. É urgente que a Justiça exija um plano de contingência do governo federal para evitar que casos se repitam. A situação indica uma falta de planejamento do Ministério da Saúde que não se antecipa a possíveis problemas.

Prevenção

Manter uma rotina de limpeza semanal nos possíveis locais de reprodução do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya é importante no processo de eliminação do Aedes aegypti. Para auxiliar nesse processo, utilize a lista elaborada pela Secretaria de Sáude (Sesa)  imprima o checklist e deixe pregado em um local visível em casa. Marque a data em que irá realizar as tarefas como limpeza da calha, vasos de plantas, caixas d’água, entre outros. Quinze minutos por semana é suficiente para realizar os cuidados.

Confira o boletim epidemiológico de 2019 e o primeiro de 2020:

– 2019: https://mosquito.saude.es.gov.br/Not%C3%ADcia/chegada-das-chuvas-preocupa-para-aumento-de-casos-de-dengue-2

 – 2020: https://mosquito.saude.es.gov.br/Not%C3%ADcia/faca-um-checklist-semanal-em-casa-e-acabe-com-o-aedes-aegypti

Com informações de A Gazeta-ES; G1; Estadão; Sesa-ES