Governo Hartung sai sem cumprir 75% do prometido 

O governo Hartung finaliza sem cumprir a maioria das promessas de campanha. Dos 29 compromissos assumidos, apenas sete foram concretizados.

A baixa produtividade de sua gestão fez com que seu governo fosse rejeitado pela sociedade, o que teria sido crucial para o governador não tentar sua reeleição visto a possibilidade de não alcançar votos suficientes para se manter no poder.

Junta -se a isso, a forte oposição praticada pelos servidores públicos que resistiram e mostraram para sociedade o falso gestor que só economiza deteriorando todos os serviços públicos.

Entre as promessas não cumpridas estão obras de infraestrutura e a conclusão do Cais das Artes. Já as ditas cumpridas, como a implantação do “Escola Viva”, precisam ser vistas com cautela, já que também não foi bem aceita pela sociedade.

A justificativa do atual governo para o não cumprimento das promessas foi o de corte nas despesas para manter as contas equilibradas, que se tornou a grande falácia  da atual administração.

No entanto, a abertura dos cofres no final de governo com gastos milionários acaba desmentindo essa justificativa, demonstrando que a paralisação das obras e o não cumprimento das promessas foi uma política de governo que preferiu manter os privilégios aos grupos empresariais com as isenções fiscais cortando investimentos da sociedade e valorização dos servidores.

Segundo o novo secretário de transportes e obras públicas, Fábio Damasceno, “não vamos deixar nenhuma obra sem conclusão, nenhuma obra parada”.

É preciso que de fato a nova gestão saia do discurso e atenda as demandas da sociedade, concluindo as obras paralisadas e fortalecendo os serviços públicos com a devida valorização dos servidores.

Confira a lista dos compromissos de Hartung, conforme divulgado por A Gazeta:

 

Não cumpriu
– Retomar o programa Ler, Escrever e Contar;
– Concluir as obras do Estádio Kleber Andrade e fazer concessão à iniciativa privada;
– Concluir as obras do Cais das Artes;
– Implantar corredor exclusivo para ônibus (BRT);
– Melhorar o gerenciamento e fiscalização do Sistema Transcol;
– Implantar o Portal do Príncipe, em Vitória;
– Concluir o Canal Bigossi, até a Avenida Carlos Lindenberg, em Vila Velha;
– Retomar projetos viários importantes na Região Metropolitana;
– Implementar uma nova ligação Vitória-Vila Velha;
– Construir quatro aeroportos regionais (São Mateus, Linhares, Colatina e Cachoeiro de Itapemirim);
– Criar uma Delegacia Central de Flagrantes na Grande Vitória e ampliar o funcionamento das delegacias normais para 24 horas;
– Implantar um sistema de transporte regular de pacientes;
– Distribuir medicamentos em casa para pacientes crônicos, idosos e portadores de necessidades especiais;
– Implantar o sistema Samu 192 em todo o Estado.

Em parte
– Concluir unidades do Corpo de Bombeiros em oito municípios;
– Melhorar a remuneração de professores, garantindo a formação continuada;
– Buscar viabilizar a construção da Estrada de Ferro 118 (Ferrovia da Vale), no litoral sul;
– Garantir a implantação de um porto de águas profundas e um de apoio às atividades de petróleo e gás;
– Implantar o Contorno do Mestre Álvaro, na Serra;
– Construir um novo hospital em Cariacica e um hospital infantil em Vitória;
– Viabilizar hospitais regionais no Caparaó, noroeste e no litoral sul;
– Concluir a readequação física dos hospitais de urgência e emergência no interior.

Cumpriu
– Instalar companhia da Polícia Militar nos pontos considerados mais violentos;
– Implantar o programa Escola Viva;
– Concluir a Rodovia Leste-Oeste, ligando os municípios de Vila Velha e Cariacica;
– Criar novos centros regionais de especialidade médicas;
– Apoiar a conclusão da Maternidade da Serra;
– Ampliar a rede complementar do SUS, por meio de parcerias com hospitais filantrópicos;
– Desenvolver esforços para a conclusão das obras do novo Aeroporto de Vitória.

Fonte: A Gazeta