Governo Casagrande abre concursos, mas mantém defasagem salarial

Nutrição
25 de agosto de 2021
Artigo – A ESTABILIDADE
27 de agosto de 2021

Uma das principais reivindicações do Sindipúblicos é a realização de concursos para suprir a falta de pessoal nos mais diversos setores do serviço público, demanda essa que prejudica o atendimento ao cidadão e ainda sobrecarrega os demais profissionais.

Depois de muita luta e até mesmo algumas ações na justiça, o Governo do Estado tem anunciado a abertura de vários concursos. Entre os previstos estão Iema; Sejus; Secont; Idaf; Polícia e Bombeiro Militar e Polícia Civil. Ao todo são mais de 1,5 mil vagas para diversos cargos.

No entanto, apesar do fluxo financeiro do Estado ser considerado um dos melhores do país, recebendo inclusive nota A pelo Tesouro, esses profissionais já irão entrar com um salário defasado abaixo do mercado e com remunerações aquém ao de vários outros estados do país.

Conforme inflação do período, desde 2013, quando os servidores passaram a receber via subsídio, já são mais de 50% de déficit salarial, e apesar do governador Casagrande ter sido eleito prometendo corrigir esse problema, o seu governo até então contribui para aumentar as perdas salariais. Em três anos de gestão, foi concedido apenas 12,85% de reajuste que nem foi sentido no contra-cheque visto que também foi realizado o aumento da tarifa previdenciária que ‘comeu’ esse valor.

Um dos motivos do déficit de pessoal em muitos órgãos tem sido a falta de valorização salarial, fazendo com que servidores peçam exoneração indo pra iniciativa privada ou outros Estados. A realização dos concursos sem a correção dessas perdas tende a manter essa situação.

O Sindipúblicos continuará a luta pela recomposição salarial das perdas inflacionárias e no acompanhamento desses concursos garantindo que as demandas por um serviço público de qualidade sejam atendidas.

1 Comment

  1. O SINDIPUBLICOS exige concursos, mas e os nossos salários. É mais fácil para o governo fazer concurso e deixar-nos a míngua, sem recomposição salarial, pois para o governo o reajuste é um problema, já o concurso é fácil. Pelo menos eu sou contra concurso até que se recomponha nossas perdas. De que adianta entupir a casa de gente e continuar a bagunça. Acredito que não entenderam ainda, quando se valoriza um trabalhador, a resposta é imediata e positiva, mas colocar mais gente pra dentro é multiplicar problema com a defasagem salarial. Primeiro arruma-se a casa depois convida os demais para entrar. Caso típico “O rabo abana o cachorro”. É o que está acontecendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × um =