• Home
  • Notícias
  • Matérias
  • Funcionário escolar na UTI com Covid reforça questionamento à SEDU por abertura de escolas

Funcionário escolar na UTI com Covid reforça questionamento à SEDU por abertura de escolas

“Fechem as escolas. É um vírus muito contagioso. Ele vai acabar com nossas famílias. Por favor, fechem!”, esse é o desabafo de Fernando Basto de Oliveira, que gravou um vídeo emocionante para fazer um apelo aos seus colegas de trabalho (confira o vídeo no final da matéria).

Em seu relato ele acrescenta que seu pai faleceu e sua irmã, que também é funcionária de escola foi internada na UTI, ambos em decorrência de covid-19.

O caso aconteceu em Curitiba, mas chamou atenção dos Agentes de Suporte Educacionais (ASE’s) do Espírito Santo que semelhante aos servidores de educação do Paraná, continuam também atuando presencialmente, atendendo inclusive pais e alunos na distribuição de materiais escolar dentre outras atividades.

“Os professores não estão indo à escola, mas os agentes de suporte e auxiliares de secretaria estão. Porque eles podem ser expostos ao risco de morte? São menos importantes? Com a falta de vigilantes, muitos servidores administrativos da escola estão trabalhando sem segurança, sem o “vigia”, como são conhecidos. A falta de ASG também está comprometendo a limpeza de algumas escolas. Recebemos informação aqui no sindicato de que até cobra já foi encontrada em escola.” comenta Tadeu Guerzet, presidente do Sindipúblicos.

O Sindicato reforça que tem cobrado constantemente nas reuniões realizadas junto ao governo que sejam cumpridos os protocolos de saúde nas escolas e não descarta tomar medidas judiciais para garantir a saúde dos profissionais caso a Sedu continue ignorando as demandas dos ASE’s. E reforça seu posicionamento que o retorno das aulas presenciais só deve ocorrer com a vacinação visto que não há protocolos seguros para que crianças e adolescentes os respeitem e cumpram.