Ex-sócio de Hartung permanece no governo Casagrande

O ex-sócio do governador Hartung, Felipe Saade Oliveira, continua como comissionado no governo Casagrande. Conforme aponta o site da Transparência, Saade permanece como comissionado na gerência de Economia da Saúde e Inovação lotado na Sesa estando de férias de 21 de janeiro à 04 de fevereiro.

A situação tem causado estranheza inclusive no mercado político, visto que além de ter sido sócio do governador na empresa de consultoria Éconos, Saade é filho do ex-secretário de governo da gestão Hartung, José Teólifo. Denunciado pelo Ministério Público de Contas (MPC) ao ser nomeado para o Tribunal de Contas do Estado (TCE), órgão responsável pelo julgamento das contas do governador, acabou sendo exonerado. No entanto, recebeu inicialmente um cargo de assessor especial na Sesa e posteriormente indo para a sua atual gerência.

Felipe atuava no Tribunal como consultor de finanças, tendo como uma de suas atribuições a análise de contas do ex-governador. Nomeação essa que entende ser ilegal visto que o artigo 224 da Lei Complementar 46/1994 (Estatuto dos Servidores Públicos do ES), proíbe que proprietário, sócio ou administrador, de empresa fornecedora de bens e serviços, executora de obras ou que realize qualquer modalidade de contrato, de ajuste ou compromisso com o Estado, seja nomeado para cargos públicos.

Além disso, durante as delações dos executivos da Odebrecht em 2017 na Operação Lava Jato, foi denunciado que a negociação da propina milionária teria sido realizada na sede da Éconos – Economia Aplicada aos Negócios Ltda, na Reta da Penha, empresa na qual o governador figurava como sócio junto à outras figuras públicas, como ex-secretário José Teófilo, Felipe Saade Oliveira, filho de José Teófilo, e Erisson Geraldo Felix Araújo. Porém, ao retornar com suas pretensões de se recandidatar como governador, Hartung se retirou da sociedade.

Espera-se que o governo Casagrande corrija as imoralidades das gestões anteriores garantindo as devidas autonomias e imparcialidades necessárias para a qualidade no serviço público.

Com informações de Século Diário