Defesa Civil interdita andar inteiro na Junta Comercial após teto desabar

A Defesa Civil Estadual interditou no dia 01 de novembro todo o andar superior da Junta Comercial após o teto de gesso desabar devido a inúmeras irregularidades conforme laudo emitido pelo órgão:

“infiltração na laje da cobertura em diversos pontos e em grande volume; acúmulo de água em conduítes e quadro de disjuntor; telhado metálico danificado; ausência de impermeabilização na laje de cobertura”.

A situação já vinha sendo alertada pelos servidores junto à direção da Junta, porém as reformas paliativas, conforme denunciado pelos servidores, não foram suficientes para resolver as necessidades estruturais, vindo o teto a desabar.

Diante aos fatos, os servidores, que já sofriam com a falta de condições adequadas de trabalho, estão trabalhando em espaço improvisado no térreo da Junta Comercial, devido a determinação da Defesa Civil que obrigou:

“desocupar o 2º andar, garantir a impermeabilização da laje de cobertura; solicitar avaliação das instalações elétricas”

Mesmo sendo um dos órgãos que possui arrecadação própria, a Junta Comercial tem tido um histórico de abandono de suas estruturas com falta de manutenção preventiva e periódica vindo a ocasionar fatos como esse.

O Sindipúblicos esteve no local e, em caso de não resolução das demandas identificadas, denunciará os fatos aos órgãos competentes para garantir a segurança e saúde dos servidores e demais cidadãos que dependem dos serviços ali ofertados.

A Comunicação do Sindipúblicos entrou em contato com a Junta Comercial e aguarda retorno quanto as questões levantadas:

Há previsão das obras emergenciais serem concluídas para retorno à utilização do segundo andar da Junta?

Existia alguma obra sendo realizada antes do desabamento do teto? Quais as precauções que foram tomadas anteriormente para tentar evitar esse desabamento?

Há anos a Junta está construindo um anexo. Há previsão de conclusão dessas obras? O que ainda falta para sua conclusão?

Até a publicação desta reportagem, apesar de confirmarem o recebimento das demandas, não tivemos retorno com as respostas.