MPES | Custo de 307 comissionados supera recomposição inflacionária

Casagrande e Eder Pontes jantam lado a lado durante evento na noite anterior à publicação da lei que cria os 307 cargos

“O governo tem condições financeiras suficientes para conceder imediatamente o reajuste de 5,56% aos servidores referente a inflação acumulada desde abril/2018. Não existe mais nenhum argumento plausível para passarmos mais um mês com nossos salários defasados” comenta Tadeu Guerzet, presidente do Sindipúblicos.

A afirmação é mediante o governador Casagrande ter sancionado a criação de 307 cargos comissionados no Ministério Público que irá gerar um gasto superior a R$27 milhões por ano apenas para esses cargos.

Enquanto que para recompor o salário dos mais de 50 mil servidores, conforme a inflação acumulada desde de abril de 2018 (5,56% IPCA) geraria um impacto per capita muito menor, visto que seria necessário o investimento de R$24 milhões/mês para amenizar os mais de 25% de perdas salariais sofridas pelos servidores.

Para o Sindipúblicos, a criação das vagas é uma afronta à sociedade, que cobra moralidade e eficiência, além de ferir a Constituição Federal quanto a investidura em cargo público, que salvo exceção, deve ser por meio de concurso público garantindo os preceitos legais necessários para uma atuação imparcial e autônoma sem ingerências de gestores políticos.