Após pressão popular, votação da Reforma da Previdência é adiada

Após diversas ações judiciais e campanhas informativas, realizadas por diversas entidades sindicais, entre essas o Sindipúblicos e a Pública – Central do Servidor, que desmontou os argumentos do governo Temer, os parlamentares estão se pronunciando contrários à Reforma da Previdência fazendo a votação, prevista para o próximo dia 06 de dezembro, ser adiada.

Enquanto o Governo Temer se nega a apresentar um estudo aprofundado sobre a necessidade da Reforma e com os dados atuariais, a CPI da Previdência comprovou que não existe rombo no sistema, mas sim desvios de recursos feitos pelos próprios governos que retiraram do caixa da previdência dos brasileiros mais de R$ 3 trilhões por meio de isenções fiscais e pela falta de uma política rigorosa de punição aos sonegadores.

Apesar do adiamento da votação da Reforma da Previdência, é necessário que todos os servidores e demais trabalhadores continuem mobilizados, compartilhando as informações repassadas pelo Sindipúblicos e demais entidades que descontroem os argumentos do governo.

Também deve ser cobrado dos deputados e senadores capixabas um posicionamento objetivo sobre sua intenção de voto e eliminar das urnas no próximo ano os que tiverem intenção de votar contrário aos trabalhadores.