Após denúncia do Sindicato, coordenador de registro sindical do MTE é exonerado

Após as diversas denúncias, dentre elas a do Sindipúblicos, por indícios de corrupção no Ministério do Trabalho no que tange ao favorecimento de grupos políticos ligados ao presidente Temer na criação de entidades sindicais, o governo exonerou no último dia 01 de agosto Leonardo Cabral Dias,  coordenador  geral de registro sindical da Secretaria de Relações de Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego.

Conforme noticiamos recentemente, os casos de indícios de corrupção no Ministério do Trabalho levaram até mesmo o Ministério Público Federal (MPF) ajuízou ações contra vários integrantes da cúpula do Ministério. Conforme investigação recém-concluída sobre o caso, o secretário das Relações do Trabalho, Carlos Cavalcante de Lacerda, e membros de sua equipe teriam manipulado processos de registro para favorecer entidades, em detrimento de outras.

A atuação do grupo prejudicava trabalhadores em favorecimento de grupos que garantiriam apoio ao governo Temer. Entre os Sindicatos atingidos esteve o Sindipúblicos, quando indevidamente o Ministério do Trabalho cassou temporariamente nosso registro e autorizou o funcionamento de dois sindicatos de servidores da base de representação do Sindipúblicos, um ligado aos fiscais agropecuários e outro dos agentes socioeducativos. Sindicatos esses ligados à Força Sindical, que possui inclusive dirigentes ocupando cargos no governo Temer e diferente das demais centrais, tem tido uma postura branda quanto às reformas trabalhista e previdenciária.

Em defesa da unidade sindical, o Sindipúblicos conseguiu com que a Carta sindical do Sinfagres fosse suspensa e apresentou recurso no Ministério do Trabalho e ainda ação judicial em Brasília questionando o ato administrativo de concessão da carta sindical do Sinases. Isso devido a suspeitas de possíveis irregularidades na criação desses sindicatos.

O Sindipúblicos espera que os fatos sejam devidamente apurados pelos órgãos competentes com os responsáveis punidos, garantindo assim o fortalecimento da representação sindical que tem sido tão atacada pelo atual governo.