Apesar de superávit, Casagrande mantém política de Hartung sem anunciar reajuste

Chegando ao sexto mês de governo, Casagrande continua se esquivando quanto ao compromisso de garantir o direito constitucional da recomposição inflacionária aos servidores.

Apesar de diversos indicadores econômicos demonstrarem fluxo financeiro suficiente para que, ao menos a inflação do último período seja concedida, o governo Casagrande mantém a política do governo Hartung em até o momento negar o direito aos servidores.

Nesta segunda-feira, 27, foi divulgado pela imprensa que a “Economia do Estado tem ritmo acima do nacional”. Segundo dados do Banco Central, o Índice de Atividade Econômica (IBCR) aponta crescimento de 2% no Estado neste primeiro trimestre. Já no país, a previsão é que fique em 0,23%. Nos últimos doze meses, o IBCR capixaba atingiu 3,1%.

Outros dados reforçam uma economia estável, como o resultado da agricultura em 2018 que teve alta de 40,7% e o comércio varejista com 13,5%. Junta-se à isso, o PIB estadual em 2018 ter alcançado 2,4%.

Destaca-se ainda que, apenas nos dois primeiros meses deste ano, o governo estadual registrou uma receita de R$3,07 bilhões, um aumento de 12,9% comparado ao primeiro bimestre de 2018. Descontando as despesas (R$1,88 bi) do período, o governo Casagrande ficou com um superávit de R$1,19 bilhão.

Tendo em vista as informações da Seger/Portal da Transparência que o Estado possui 96.362 servidores (ativos e inativos) recebendo ao total R$400,7 milhões, o reajuste inflacionário elevaria a folha em R$ 15 milhões/mês. Ou seja, apenas 1,36% dos mais de R$1 bilhão de superávit registrado no primeiro bimestre.

O Sindipúblicos reforça sua cobrança ao governo Casagrande para que abra o diálogo junto aos servidores na negociação do índice de reajuste dos salários, do auxílio-alimentação, bem como a fixação de data-base. Não há mais justificativa para negar o direito aos servidores.

Uma política de cortes, além de prejudicial ao funcionalismo público, é extremamente maléfica à sociedade capixaba. Aumentar o poder de compra dos servidores contribui diretamente no aquecimento de toda economia capixaba visto que mais de 96 mil pessoas vão injetar os valores da reposição inflacionária na própria economia local na contratação e compra de produtos e serviços.