Abono de Hartung vira presente de grego com servidores recebendo menos que em novembro

O que traria alegrias, trouxe tristeza e preocupação para parte do funcionalismo estadual, que ao invés de receber um valor maior em dezembro, acabou ganhando uma remuneração real menor até que meses anteriores.

Isso foi devido o desconto do Imposto de Renda do 13º salário (pago no mês de aniversário do trabalhador) e a inclusão do abono de R$ 1,5 mil no total da remuneração. Desta forma, servidores que estavam na faixa de isenção passaram a ter que recolher o IR também sobre o salário no mês.

Ou seja, o período das festas de fim de ano que deveria ser de comemoração se tornou de revolta ao tão combalido funcionalismo público. Lembrando que essa perversidade não atinge os servidores com altos salários da administração pública. O presente de grego foi entregue aos muitos trabalhadores que recebem pouco mais (ou até menos) de um salário mínimo, sobretudo, nas áreas da saúde e educação.

Mais uma vez que sai ganhando é o próprio governo, visto que os valores arrecadados de Imposto de Renda retornam para o próprio caixa do Estado. Ou seja, o governo concede, mas retira.

Fato esse que só contribui para o futuro ex-governador Paulo Hartung (sem partido) não deixar mesmo saudades para o funcionalismo público. A categoria está na bronca com os descontos no contracheque de dezembro.

Tanto o Sindipúblicos quanto os demais sindicatos representantes de servidores repudiaram essa manobra do governo. É preciso que ao invés de pagar abono, que o governo recomponha a inflação os salários dos servidores, contribuindo para toda a sociedade ao movimentar a economia local e valorizando os serviços públicos de qualidade.

 

 

  • cecil marques

    E só o funcionalismo não comprar nada, não gastar nada no comércio,aí os empresários amiguinho de “Baianinho”,vao ficar chupando dedo!